sábado, 19 de agosto de 2017

Gilmar de Lama Mentes Resolve?

Se é impossível evitar eleições diretas.

POR FERNANDO BRITO · 18/08/2017

Um ministro do Supremo tem como dever guardar a Constituição.

Um presidente do Tribunal Superior Eleitoral tem o dever de fazer respeitar a lei eleitoral e o respeito à vontade popular.

Errado, caro leitor e estimada leitora.

Gilmar Mendes, diante dos seus acovardados pares – no TSE, agora, parece que só se ingressa se for da “escolinha do Gilmar” – manda chamar os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira para dar-lhes a missão de implantar o parlamentarismo, duas vezes recusado nas urnas pelo povo brasileiro.

O argumento é simples.

Se não têm candidato para vencer eleições e se é impossível cancelá-las, então faça-se elas não valerem nada.

Tão simples quanto tolo, porque a crise de legitimidade permaneceria e, pior, jogaria o Brasil ainda mais no limbo mundial.

O que isso denota é que bateu o desespero no conservadorismo brasileiro. O movimento surdo da consciência popular está identificado em pesquisas e apavora.

Nenhum comentário: